quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Arredores de BH - Ouro Preto e Mariana

Belo Horizonte tem botecos sensacionais, porém, em seus arredores, há belos passeios para se fazer.
Em um final de semana, fomos para BH, porém, tiramos um dia para irmos à Ouro Preto e Mariana.



Ouro Preto

Bem no início do dia, fechamos uma diária com um taxista, e saímos cedo de BH rumo à Ouro Preto e Mariana. 

Em Ouro Preto, demos uma passeada na praça central da cidade, conhecendo a arquitetura local e depois fomos almoçar num restaurante delicioso. 

 

Mariana


 




 




Mariana


 

Trem Turístico

Depois do almoço, partimos em direção à estação de trem, para fazermos o trajeto Ouro Preto - Mariana. 

No final de semana, o trem partir rumo à Mariana às 14h30

Vale a pena pegar o vagão panorâmico.



Mariana



Mariana














A vista do passeio é sensacional, com cachoeiras, igrejas, pequenos vilarejos.












  Mina de Ouro em Mariana (Minas da Passagem). 

Marcamos com nosso taxista na estação de trem em Mariana, e de lá partimos rumo à Mina de Ouro.

Embora a mina esteja desativada, percorremos grande parte de sua extensão. 

O ingresso da direito a um passeio nas galerias subterrâneas, através de um trolley que chega a 315m de extensão e 120m de profundidade, onde se vê um maravilhoso lago natural.

Há um guia explicando toda a história da mina. Muitíssimo interessante. 

 



Mariana

Trolley


Na descida para as galerias, temos a sensação de estarmos dentro de um carrinho em uma montanha russa.







Trem



lago
Lago Natural



 

 


terça-feira, 21 de outubro de 2014

Viajando com bebês!!!! Dicas que vão te ajudar na hora do voo.


VIAJANDO COM BEBÊS OU CRIANÇAS DE COLO!!!!!



viajando com bebê



Resolvemos fazer esse post, pois muitas pessoas nos perguntam como temos coragem de fazer uma longa viagem de avião com criança de colo. 
Sempre respondemos a mesma coisa: adoramos viajar e um filho não é uma desculpa para não fazermos uma das coisas que mais gostamos, principalmente em família.
Lógico que temos que ter alguns cuidados, pois a viagem fica um pouco mais cansativa e temos que respeitar o limite da criança. Mas posso garantir uma coisa, esse medo de viajar de avião é muito mais emocional do que racional. E posso afirmar que sempre é muito bom viajar com nosso filho.
A primeira viagem que fizemos com ele foi para Argentina. Na época ele tinha 9 meses.
Depois,  já fomos para Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte e a última agora, ele já estava com 1 ano e 2 meses, quando fomos para Orlando e Miami.


viajando com bebê de avião



Programando a viagem (dicas):

Antes de tudo, vale registrar que para viagens internacionais, criança de colo, até 2 anos, paga 10 % do valor da passagem. Já em voos domésticos não há essa cobrança. 
Em ambos os casos, não há reserva de assento para a criança, devendo a mesma ficar no colo do responsável.  

1) A primeira coisa que devemos providenciar é a documentação para viajar com seu filho: Em viagens nacionais ou para  a América do Sul (exceção das Guianas) você pode viajar com a identidade (RG) original. Para outras viagens internacionais, será necessário o passaporte.

2) Dependendo da idade e tamanho do seu filho, você pode solicitar o bercinho para a companhia aérea.

3) Saiba que você pode levar o carrinho de bebê até a entrada da aeronave (onde é embalado e eles colocam no bagageiro) e ele não é contado como bagagem. Na saída da aeronave você pode solicitar aos comissários para que  subam com o carrinho, para te entregarem na porta do avião. Cabe ressaltar que algumas empresas aéreas não entregam o carrinho na saída da aeronave, mas sim junto às bagagens comuns, nas esteiras.

4) Em viagens internacionais, vale a pena chegar mais cedo para fazer o check in, assim você conseguirá reservar os primeiros acentos, aqueles que têm um espaço maior para você esticar as pernas.
Outra vantagem de se chegar cedo é, se a aeronave não estiver com as reservas lotadas, nos aviões que têm 3 ou 4 acentos na parte do meio, há chance da empresa aérea intercalar a reserva do seu acento com a do adulto que está viajando com você. Em outras palavras,   dependendo de quem te atender na hora do check in,  há possibilidade de bloquear esse acento do meio, com isso você terá um acento para colocar seu filho deitado.
 Há casos ainda de você pode entrar com o bebê conforto (se ele for adaptável para uso em aeronave).

5) Não se esqueça de providenciar o seguro de saúde para o seu bebê.

6) Em voos longos, de preferência para voos noturnos.
  


viajando com bebê de avião

O que levar na sua bagagem de mão:

1) Trocador de bolsa, pomada de assadura, fraldas,  2 roupas extras, manta, casaco, mamadeira, papinha, brinquedinho para distrair, remédios e vitaminas que seu bebê faça uso. 
Se tiver um tablet ou dvd portátil com algum desenho para a criança, acredito que vale a pena levar.

Mesmo viajando para os EUA, apesar da restrição de liquido acima de 100 ml   para se levar na bagagem de mão, as mamadeiras onde levei suco e as papinhas puderam entrar sem problemas. O leite em pó levei em um recipiente que possuem 3 divisões, assim pude preparar a mamadeira na hora.

Os sucos e as papinhas foram colocados em uma bolsinha térmica onde a temperatura é mantida por até 12 horas.
Na hora de precisar esquentar a papinha, fale com o comissário de bordo que ele providencia para você.

Nunca esqueça que você terá que ter, independente do tempo de viagem (para mãe que não amamenta), pelo menos 2 mamadeiras prontas, uma para decolagem e outra para a aterrissagem, com intuito de evitar dores nos ouvidos das crianças. 

No voo, deixe à mão, abaixo do acento do banco da frente, as coisas que você irá usar com seu filho, lembrando que assim você não terá que ficar se levantando para pegar as coisas durante a viagem, no bagageiro superior.

viajando com bebê  de avião

viajando com bebê  de avião

viajando com bebê  de avião

O que levar na bagagem que despacho:


Além de todas as coisas que farei uso durante a viagem, como meu filho tem alergia alimentar, compramos uma bolsa térmica que mantém as papinhas congeladas por 18 horas. Assim, sempre levamos toda a comida de nosso filho pronta. Com isso não precisamos nos preocupar com sua alimentação durante toda a viagem.
Como nosso filho toma uma fórmula isenta de leite, preferimos levá-la daqui, além de algumas outras coisas especiais que ele faz uso.
Vale a pena, se for o seu caso, pedir ao seu pediatra um atestado de que seu filho possui restrição alimentar devido à alergia (escrito em inglês e português) para anexar na bolsa térmica e levar uma cópia junto com sua bagagem de mão. Eu não precisei usar o atestado, mas é uma garantia a mais de que você não terá problema com sua bagagem.

viajando com bebê  de avião

viajando com bebê  de avião






quinta-feira, 13 de março de 2014

Nova York - O que fazer e onde se hospedar..



 
NOVA YORK - O que fazer e onde se hospedar.







Abril/Maio de 2009: Tínhamos 18 dias inteiros de férias e não sabíamos para onde ir. Viajar novamente para a Europa ou conhecer um pedacinho dos EUA ? (nunca havíamos ido) Decidimos então ficar 10 dias em Nova York e os outros 8 dias entre Miami e Orlando.

Iniciamos nossa viagem por Nova York e nossa primeira dúvida apareceu: Qual o melhor local para se hospedar? Sabíamos que iríamos ficar na ilha de Manhattan, porém nos hospedaríamos próximo a Time Square ou Central Park? Decidimos ficar mais próximo ao agito da cidade. Pense sempre que depois de um dia inteiro passeando pela cidade, você ainda irá querer sair à noite e ver todas aquelas luzes nos outdoors gigantes iluminados até de madrugada ou  assistir uma peça de teatro
.
Como sempre, pesquisando hotéis em sites de busca, encontramos o hotel Paramount, que tinha acabado de ser reformado e reaberto ao público com um preço muito bom, além de uma excelente localização na 235 W 46th Street, (rua dos brasileiros) a duas quadras da Time Square.
Se localizar na ilha de Manhattan realmente é muito fácil, pois as ruas, em sua maior parte, são numeradas tanto horizontalmente como verticalmente o que facilita muito a vida do turista, tanto para se deslocar pela cidade quanto para encontras os pontos turísticos que deseja conhecer.

Mapa

Chegada em Nova York pelo aeroporto JFK :

   Translado Aeroporto para Manhattan: não caia no "conto do vigário" como nós caímos.

   Do aeroporto para Manhattan: Pegue sempre o TÁXI AMARELO (Em 2009 – o translado saia US$ 50,00). Quando fomos para Nova York acabamos não pedindo informações anteriormente e pegamos um taxi preto. No final das contas, o translado do aeroporto até o hotel saiu muito mais caro do que se tivéssemos pegado o táxi da cor certa (US$ 200,00), além do motorista não ter nos deixado no nosso hotel (tivemos que andar duas quadras com as malas procurando o hotel).
 

Nova York é uma cidade com uma diversidade enorme de atrações por isso, em nossa opinião, existe algumas atrações que você não pode deixar de incluir em seu roteiro.


1º) Passear pelo Central Park: Se tiver com tempo bom aproveite para fazer um piquenique ou um passeio romântico de charrete.




New York
Central Park



2º) Alugue um bicicleta para andar pelo Central Park. Você vai adorar (você irá encontrar rent a Bike exatamente na entrada do central park na esquina da 8ª avenida com a Rua 59 th – junto a uma praça: Columbus Circle).
Aproveite neste dia para conhecer o Museu de História Natural que se localiza na Av. Central Park West (continuação da 8ª avenida).

Museu
Museu

3º) Andar pela Time Square: Sabe aquele "monte" de outdoors iluminado que você vê em diversos filmes e reportagens de TV? Incrível como é exatamente assim. Tanto durante o dia quanto a noite você verá aqueles outdoors enormes iluminados e lojas gigantescas além da multidão andando pela rua.

Time Square

Time Square


Próximo a Broadway encontramos uma das filiais do Madame Thusauds, um famoso museu de cera de pessoas famosas cuja sede é em Londres. 
Na época, ainda não tínhamos ido a nenhum museu de cera. Posso dizer que adoramos.


MuseuMuseu



4º) Uma tarde no Píer 17: É um local onde encontramos um shopping com um terraço de onde temos uma vista para a ponte do Brooklyn. A estação de metro mais próxima a ele é a Estação Fulton Street.

É um lugar muito agradável para se almoçar e passar uma tarde descansando.  Na rua para se chegar ao píer encontramos diversos restaurantes e algumas lojas de grifes famosas.

New York




New York New York  








5º) Ir a um musical da Broadway: Nós já assistimos os Dálmatas e o Rei Leão, todos os dois são maravilhosos. Com certeza você ficará impressionado com os espetáculos, se pudesse teria ido cada dia em um diferente. Uma dica é comprar antecipado pela internet, com isso, você não corre o risco de pegar fila na TKTS localizada na Time Square e nem de não conseguir ingresso para o musical que você deseja ir.




6º) Estátua da Liberdade e Ellis Island: vale a pena comprar o ticket para a Liberty Island (ilha onde se localiza a estátua da liberdade) antecipadamente, pois, você corre o risco de chegar no dia e ter uma fila kilométrica e não conseguir fazer a visita naquele dia (foi o que aconteceu conosco – acabamos tendo que voltar no dia seguinte bem cedo para comprar o ingresso e podermos visitá-la).

O barco para ir para a Liberty Island é o mesmo que para a Ellis Island, ou seja, após conhecer a estátua da liberdade você pegará o barco de volta e fará uma parada na Ellis Island – é uma ilha onde você encontra um museu que conta a história da imigração nos Estados Unidos.

http://statuecruises.com/choose_tickets.aspx


New York

New York

Aproveite nesse dia para conhecer o distrito financeiro de Nova York: local onde encontramos o famoso touro que representa a bolsa de valores em alta, a área das antigas torres gêmeas e um local excelente para se fazer compras, o Shopping Century 21, com ofertas realmente excelentes.


New York


7º) Andar pela 5ª avenida: É nela que encontraremos as lojas enormes das grifes mais famosas do mundo: Tiffany & Co, Louis Vitton, Diesel, Prada e outras.  Ainda na 5ª avenida, mas já próximo ao Central Park encontraremos a direita uma loja enorme da Apple. Também é na nessa avenida que temos a entrada para dois museus de Nova York o Metropolitan (dentro do central park)  e o Guggenheim (em frente ao central park).

New York
New York New York New York




8º) Rockfeller Center: Se estiver na época de patinação no gelo, aproveite e alugue um patins e experimente se divertir patinando.


New York



9°) Subir no Empire State: Apesar de alguns turistas não incluírem a subida em seu roteiro, nós adoramos, pois a vista de lá te impressionará.

Vista

Próximo ao Empire State você tem o Grand Central Terminal, o Madison Square Garden e a Macy's (uma das maiores redes de lojas de departamentos que encontramos em todos os EUA) onde você pode aproveitar para fazer algumas comprinhas.


New York

New York

10º) Se você tiver oportunidade, assista a um jogo de basquete ou um a um show no Madison Square Garden: Infelizmente não conseguimos ver um jogo de basquete da NBA, somente de times infantis, e mesmo assim foi muito bom, um "show".

11°) Passear pelos bairros do Soho, Greenwitch Vilage, West Vilage: Fizemos no mesmo dia esses bairro antigos. O Green Vilage e West Vilage são bairros mais residenciais com casas e apartamentos de tijolos, onde você encontrará praças, a Universidade de Nova York e o Washington Square Park onde em alguns dias da semana encontramos uma feira de artesanato. 
Já o Soho, é um bairro mais comercial, com galerias, lojas entre outros.  Dois bairros que em nossa opinião são imperdíveis de se conhecer, totalmente diferentes da Time Square e da área do distrito financeiro da cidade de Nova York (financial district).

New York

New York


12º) Um bairro que fomos conhecer e realmente não nos agradou foi o Chinatown: Em nossa opinião, achamos o bairro um pouco "sujo", os restaurantes não nos agradaram e as lojas vendendo muita "bugiganga". Em nossa opinião se você tiver pouco tempo na cidade é um local que dispensaria visitar.

China Town

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

São Francisco até Carmel e Monterey (pela Highway 1) - Onde se hospedar e roteiro gastronômico

São Francisco até Carmel e Monterey -  Onde se hospedar e roteiro gastronômico.



Depois de algumas noites em São Francisco, hora de seguir para Carmel, conhecendo a famosa Estrada Highway 1.

6º dia) Primeira parte da viagem pela Highway 1: São Francisco – Carmel.

Fizemos a reserva do carro aqui do Brasil, pelo site: http://www.happytoursusa.com , onde conseguimos uma cotação de locação na Hertz melhor do que se fizéssemos diretamente com eles, e não tivemos nenhum problema. Na Califórnia, diferente de quem está acostumado a viajar pela Flórida, você não precisa se preocupar em contratar o serviço de tollpass (passe livre nos pedágios), pois nessa rota não tem pedágio.

Alugamos o carro com GPS , pois acho que esse é o primeiro ponto que devemos avisar para quem quer viajar: quando for colocar no GPS para onde está querendo ir, coloque o nome da via: Highway 1 e não somente o nome da cidade para onde vai, pois, do contrário, o GPS sempre te indicará outros 2 caminhos e com isso você não iniciará sua viagem pela Highway 1.

Essa viagem era um sonho, então saímos cedo do hotel em São Francisco para fazermos todo o caminho com calma.


Califórnia



 De São Francisco até Carmel você tem por volta de 190 km de estrada, porém não aconselhamos percorrê-la correndo. 
Vá devagar pela costa e aprecie as paisagens. Durante todo o trajeto você terá vários locais com segurança para tirar fotos e começar a entender porque essa rota de viagem é tão famosa. 


Califórnia



Chegamos a Monterey por volta de 14 horas. A cidade é bem conhecida devido ao seu famoso aquário, considerado um dos maiores de água salgada do mundo. 







Almoçamos num restaurante chamado Fish Hoper, que se localiza no píer de Monterey. 
É imperdível, além da comida ser maravilhosa (acho que foi a melhor massa com frutos do mar que comemos até hoje), você é super bem atendido e a vista do restaurante é magnífica. 
O restaurante foi projetado para ficar “sobre o mar”, ou seja, todas as janelas de vidro ao seu redor têm vista para o mar.





 Fish Hopper



 Passeamos pelo centrinho de Monterey e fomos para Carmel, onde nos hospedamos.

Apesar de em Carmel os hotéis serem mais caros do que em Monterey, queríamos nos hospedar nela devido ao que muitos amigos nos falaram, e, realmente, achamos que valeu super a pena ficar nessa cidadezinha. 


Califórnia



A cidade é um charme e você saberá que chegou nela quando olhar para o relógio na rua e vir que é da marca Rolex.
Rolex

Uma cidade pequena com vários restaurantes, galerias de artes, lojinhas.  Uma cidade linda, que mistura conforto e sofisticação com um leve toque rústico. Simplesmente imperdível!!!!! 


Em Carmel, conhecemos um casal, onde a mulher é brasileira e seu marido cresceu na cidade. 
Acabamos combinando de ir com eles num restaurante mexicano que fica em Carmel Valley. Pena não lembrar o nome do restaurante, pois a comida estava deliciosa e o restaurante é agradabilíssimo.

7º dia) Fomos fazer a 17 Miles Drive (uma estrada costeira com lindas vistas): Não queiram percorrê-la com pressa, pois apesar de ser uma pequena distância, você deixará de aproveitar muita coisa dela.
 A costa toda é lindíssima e tem muitos pontos para tirarmos fotos. 
Carmel
Carmel


Aproveite para ir ao The Lodge, em Pebble Beach, que é um resort, onde mesmo não sendo hospede, você pode almoçar por lá ou mesmo beliscar algo, tomar um drinque e sentar num dos sofás perto de uma lareira de frente para o mar. 
Há, também, os campos de golfe mais famosos do mundo.
 Aproveite para relaxar. 


Carmel



Carmel



Depois do nosso descanso merecido, rsrsrs, continuamos seguindo pela 17 miles drive, voltando para Carmel, até chegarmos na Scenic Drive, também imperdível. 
Como já eram 17 horas, fomos almoçar no Mission Ranch, mas estava fechado. 
Trata-se de um restaurante que fica junto a um rancho, com piano bar, cujo dono é o ator Clint Eastwood, que com frequüência é visto por lá,  porém só abre às 18 horas (chegamos cedo).
 Acabamos indo almoçar no La Bicyclette, também muito bem indicado, sempre cheio e bem frequentado.



La Bicyclette


À noite passeamos pelo centrinho de Carmel e fomos num Pub. Não conseguimos aproveitar mais de Carmel, pois pegamos muito frio, mas com certeza ainda voltaremos nessa cidade que possui muito mais pontos para se conhecer.






8º dia) Acordamos e fomos pegar a estrada novamente - rumo a São Luis Obispo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...